Arquivo da categoria: Se liga ai!

A Economia Criativa por Ayne Interiores

Tão vital quanto a arquitetura verde, design de interiores sustentável une beleza, economia e preservação ambiental, indo além da chamada reciclagem para decoração

13330925_1355296194485675_4635093146561422074_n

Economia criativa em alta:

O mais recente relatório do Sebrae sobre o tema, emitido em 2013, registrou recorde no comércio mundial de bens e serviços criativos: US$ 624 bilhões em 2011.

Entre 2002 e 2011, esse valor mais do que duplicou. Há cinco anos a Designer de interiores Karen Horrayne, fundou a Ayne Interiores, e seu diferencial entre tantos outros designers é a imersão com o objetivo de identificar valores essenciais no lugar mais importante das pessoas: seu Lar.

Desde seus primeiros trabalhos Karen se diferencia pois colabora com o desenvolvimento criativo, tanto na economia, quanto na real necessidade, para assim promover melhorias concretas na vida das pessoas.

karen-ayne-interiores

Karen é especialista e precursora em economia criativa na área de design de interiores, e atua hoje fazendo projetos on line, e a ideia é a economia, uma vez que o resultado
tende a projetar um resultado pratico que cabe dentro do orçamento do cliente. Evitando assim, gastos desnecessários ao comprar itens que não se encaixam ao ambiente.

Considerar a ideia de contratar projeto de design de interiores pode te promover a possibilidade de economizar na compra de artigos decorativos ou outros materiais para a composição de diferentes ambientes.

Esse profissional tende a projetar as soluções ao qual sejam muito mais práticas e inclusive que caibam dentro do seu orçamento, assim, pode evitar gastos desnecessários ao comprar itens que não se encaixam ao ambiente.
“Não adianta mais consumir por consumir. O mundo todo está em busca de propósitos nas atitudes e os projetos ”, completa Karen.

A ideia tem trago resultados, a Ayne Interiores foi Destaque no Arkaton 2017.
Mais informações sobre o assunto podem ser obtidas através do link 

Anúncios
Etiquetado , , , , , , ,

Bitcoin: guia passo-a-passo para principiantes

O que é a Bitcoin (em poucas palavras) A Bitcoin surgiu em 2008 depois do movimento Occupy Wall Street ter acusado grandes bancos de terem usado de forma errada o dinheiro dos seus clientes – os enganando, manipulando o sistema e cobrando taxas surpreendentes.

images

Os pioneiros da Bitcoin pretendiam colocar o vendedor no comando, eliminar o intermediário, abolir taxas de juros e tornar as transações transparentes para evitar a corrupção e reduzir taxas. Criaram um sistema descentralizado através do qual pode controlar os seus fundos e saber o que se passa. A Bitcoin chegou longe em relativamente pouco tempo. Empresas por todo o mundo – da REEDS Jewelers, uma grande cadeia de joalharias nos EUA, a um hospital privado em Varsóvia, na Polônia – aceitam esta moeda.

U5drSXx9zUCN4SdRAc1n4Ja5mpjYCF1.gif

Empresas de bilhões de dólares como a Dell (NYSE: Dell Technologies Inc. [DVMT]), a Expedia (NASDAQ: Expedia [EXPE]), a PayPal (NASDAQ: PayPal [PYPL]) e a Microsoft (NASDAQ: Microsoft Corporation [MSFT]) também aceitam. Há sites que a promovem, publicações como a Bitcoin Magazine que publicam notícias ao redor da mesma e fóruns em que se discute e negoceia criptomoedas. A Bitcoin tem a sua própria interface de programação de aplicativos (API), o seu próprio índice de preços e a sua taxa de câmbio.

Screenshot_3

Tem, contudo, alguns problemas também – desde ladrões pirateando contas, a elevada volatilidade e a atrasos nas transações. Por outro lado, indivíduos em países em desenvolvimento poderão considerar a Bitcoin o mais fiável canal para enviar e receber dinheiro. O que é a Bitcoin (em profundidade) A Bitcoin tanto surge como moeda virtual como enquanto referência a tecnologia. Pode fazer transações com cheque, transferência ou dinheiro – e também pode usar Bitcoin (ou BTC) encaminhando um comprador para a sua assinatura, que é uma longa linha de código de segurança encriptado com 16 caracteres distintos.

O comprador decodifica o código com o seu smartphone para obter a sua criptomoeda. Dito de outra forma: se trata do câmbio de informação digital que permite que compre ou venda bens e serviços. A transação é segura e fiável ao ser executada em uma rede informática peer-to-peer semelhante ao Skype ou ao BitTorrent, um sistema de partilha de ficheiros.

obamaclap-clap

 

Propriedades transacionais de Bitcoin:

1.) Irreversível: Após a confirmação, uma transação não pode ser revertida. Por ninguém. E ninguém significa ninguém. Não você, não seu banco, não o presidente dos Estados Unidos, não Satoshi, não seu mineiro. Ninguém. Se você enviar dinheiro, você o envia. Período. Ninguém pode ajudá-lo, se você enviar seus fundos para um scammer ou se um hacker os roubar do seu computador. Não há rede de segurança.

2.) Pseudônimo: Nem transações ou contas estão conectadas a identidades do mundo real. Você recebe Bitcoins nos chamados endereços, que são cadeias aleatoriamente parecidas com cerca de 30 caracteres. Embora geralmente seja possível analisar o fluxo da transação, não é necessariamente possível conectar a identidade do mundo real dos usuários com esses endereços.

3.) Rápido e global: a transação é propagada quase instantaneamente na rede e é confirmada em alguns minutos. Como eles acontecem em uma rede global de computadores, eles são completamente indiferentes à sua localização física. Não importa se eu enviar o Bitcoin para o meu vizinho ou para alguém do outro lado do mundo.

4.) Seguro:  Os fundos de Bitcoin são bloqueados em um sistema de criptografia de chave pública . Apenas o proprietário da chave privada pode enviar criptomoeda. Criptografia forte e a magia dos grandes números tornam impossível quebrar esse esquema. Um endereço Bitcoin é mais seguro que o Fort Knox.

5.) Permissionless : Você não precisa pedir a ninguém para usar a criptomoeda. É apenas um software que todo mundo pode baixar gratuitamente. Depois de instalado, você pode receber e enviar Bitcoins ou outras criptomoedas. Ninguém pode te impedir. Não há gatekeeper.

Onde posso encontrar Bitcoins?

Primeiramente, recomendamos que você leia este guia detalhado para comprar Bitcoin .

Você pode obter seus primeiros bitcoins de qualquer um desses quatro lugares.

  • Uma troca de criptomoedas onde você pode trocar moedas “normais” por bitcoins, ou por satoshis, que são como os tipos de centavos do BTC. Recursos: Coinbase e Coinsquare  nos EUA e Canadá, e BitBargain Reino Unido e Bittylici o nós no Reino Unido.
  • Um Bitcoin ATM (ou troca de criptomoedas) onde você pode trocar bitcoins ou dinheiro por outra cryptocurrency. Recursos: Suas melhores apostas são BTER e  CoinCorner
  • Um serviço classificado onde você pode encontrar um vendedor que o ajudará a trocar bitcoins por dinheiro. Recursos: O site definitivo é LocalB i tcoins .
  • Você poderia vender um produto ou serviço para bitcoins. Recursos: sites como o Purse .

Cuidado! O Bitcoin é famoso por golpes, portanto, antes de usar qualquer serviço, procure opiniões de clientes anteriores ou poste suas perguntas no fórum do Bitcoin .

Como o Bitcoin funciona?

Sem entrar nos detalhes técnicos, o Bitcoin trabalha em um vasto livro-razão público, também chamado de blockchain , onde todas as transações confirmadas são incluídas como “blocos”. À medida que cada bloco entra no sistema, ele é transmitido para a rede de computadores peer-to-peer de usuários para validação. Dessa forma, todos os usuários estão cientes de cada transação, o que impede o roubo e a duplicação de gastos, em que alguém gasta a mesma moeda duas vezes. O processo também ajuda os usuários do blockchain a confiar no sistema.

Screenshot_2

Como posso armazenar meus bitcoins?

Para ver como o sistema funciona, imagine alguém chamado Alice que está experimentando Bitcoins. Ela iria se inscrever para uma carteira de criptografia para colocar seus bitcoins dentro

As carteiras de Bitcoin

Existem três aplicativos diferentes que o Alice poderia usar.

  • Cliente completo – é como um servidor de e-mail autônomo que lida com todos os aspectos do processo sem depender de servidores de terceiros. Alice controlaria toda a sua transação do começo ao fim sozinha. Compreensivelmente, isso não é para iniciantes.
  • Cliente leve – Esse é um cliente de email independente que se conecta a um servidor de email para acessar uma caixa de correio. Ele armazenaria bitcoins de Alice, mas ele precisa de um servidor de propriedade de terceiros para acessar a rede e fazer a transação.
  • Cliente da Web – é o oposto de “cliente completo” e se parece com o webmail, pois depende totalmente de um servidor de terceiros. O terceiro substitui Alice e opera toda a sua transação.

Você encontrará carteiras que vêm em cinco tipos principais: desktop, celular, web, papel e hardware. Cada um deles tem suas vantagens e desvantagens .

Como faço para comprar e vender coisas com Bitcoins?

Aqui está a coisa engraçada com Bitcoins: não há traços físicos deles como de dólares. Tudo o que você tem são apenas registros de transações entre diferentes endereços, com saldos que aumentam e diminuem em seus registros que são armazenados no blockchain.

Para ver como o processo funciona, vamos voltar para Alice.

Exemplo de uma transação Bitcoin

Alice quer usar seu Bitcoin para comprar pizza de Bob. Ela lhe enviava sua “chave” particular, uma seqüência particular de letras e números, que contém a transação de origem das moedas, a quantia e o endereço de carteira digital de Bob . Esse “endereço” seria outro, desta vez, a sequência pública de letras e números. Bob examina a “chave” do smartphone para decodificá-lo. Ao mesmo tempo, a transação de Alice é transmitida para todos os outros participantes da rede (chamados “nós”) em seu livro e, aproximadamente, dez minutos depois, confirmada por meio de um processo de certas regras técnicas e comerciais chamadas “mineração”. Esse processo de “mineração” dá a Bob uma pontuação para saber se deve ou não prosseguir com a transação de Alice.

A transação entre Alice e Bob

O que é mineração?

Mineração, ou processamento, mantém o processo Bitcoin seguro ao adicionar cronologicamente novas transações (ou blocos) à cadeia e mantê-las na fila. Blocos são cortados quando cada transação é finalizada, códigos decodificados e bitcoins passados ​​ou trocados.

Os mineradores também podem gerar novos bitcoins usando um software especial para resolver problemas criptográficos . Isso fornece uma maneira inteligente de emitir a moeda e também fornece um incentivo para as pessoas minerarem.

A recompensa é acordada por todos na rede, mas geralmente é de 12,5 bitcoins, bem como as taxas pagas pelos usuários que enviam as transações. Para evitar a inflação e manter o sistema gerenciável, não pode haver mais do que um número total fixo de 21 milhões de bitcoins (ou BTCs) em circulação até o ano 2040, de modo que o “quebra-cabeça” fica cada vez mais difícil de resolver.

O que preciso saber para proteger meus Bitcoins?

Aqui estão quatro conselhos que ajudarão seus bitcoins a irem além.

Como você faria com uma carteira normal, armazene apenas pequenas quantidades de bitcoins no seu computador, celular ou servidor para uso diário, e mantenha a parte restante de seus fundos em um ambiente mais seguro.

  • Faça backup de sua carteira regularmente e criptografe sua carteira ou smartphone com uma senha forte para protegê-la contra ladrões (embora, infelizmente, não seja contra hardware ou software de keylogging).
  • Armazene alguns dos seus bitcoins em uma carteira off-line desconectada da sua rede para maior segurança. Pense nisso como um banco, enquanto você, geralmente, guarda apenas parte de seu dinheiro em sua carteira.
  • Atualize seu software. Para proteção adicional, use o recurso de assinatura múltipla do Bitcoins, que permite que uma transação exija que várias aprovações independentes sejam gastas.

Passar algum tempo nessas etapas pode economizar seu dinheiro.

 

Recomendamos o Nano Ledger S – Hardware Wallet

O Nano Ledger S é tão seguro quanto as outras duas carteiras de hardware. É popular por causa de seu preço relativamente baixo de US $ 65 em comparação com seus concorrentes. Sendo menor que o KeepKey, é mais portátil e mais fácil de transportar. É uma carteira de hardware que vem a um preço muito competitivo.

O que mais eu preciso saber?

Proteja seu endereço: Embora sua identidade de usuário por trás de seu endereço permaneça anônima, o Bitcoin é a forma mais pública de transação com qualquer pessoa na rede, vendo seus saldos e log de transações. Esta é uma das razões pelas quais você deve alterar os endereços Bitcoin em cada transação e salvaguardar seu endereço. Você também pode usar várias carteiras para fins diferentes, de modo que seu saldo e histórico de transações permaneçam privados daqueles que lhe enviam dinheiro.

Sua pontuação de confirmação: Como dito, você recebe uma pontuação de confirmação de cerca de 10 minutos antes de fazer sua compra. Carteiras diferentes têm sua própria leitura.

Screenshot_1

Screenshot_4

Quais são as desvantagens do Bitcoin?

Bitcoin desceu com o pé errado, alegando uma pessoa apócrifa (ou pessoas), Satoshi Nakamoto como seu fundador. Nakamoto nunca foi encontrado.

Em relação a preocupações mais práticas, hacking e scams são as normas. Eles acontecem pelo menos uma vez por semana e estão ficando mais sofisticados. A complexidade do software da Bitcoin e a volatilidade de sua moeda dissuadem muitas pessoas de usá-lo, enquanto suas transações são frustrantemente lentas. Você terá que esperar pelo menos dez minutos para que sua rede aprove a transação. Recentemente, alguns usuários do Reddit relataram esperar mais de uma hora para que suas transações fossem confirmadas.

Golpes a tomar cuidado

Os quatro golpes mais comuns entre os Bitcoins são esquemas Ponzi, fraudes de mineração, carteiras fraudulentas e trocas fraudulentas.

  • Golpes Ponzi : Golpes Ponzi, ou programas de investimento de alto rendimento, engancham você com juros mais altos do que a taxa de mercado vigente (por exemplo, 1-2% de juros por dia) enquanto redirecionam seu dinheiro para a carteira do ladrão. Eles também tendem a se abaixar e emergir sob nomes diferentes para se protegerem. Mantenha-se longe de empresas que lhe forneçam endereços de Bitcoin para pagamentos recebidos, em vez dos processadores comuns de pagamento, como o BitPay ou o Coinbase.
  • Bitcoin Mining Scams : Essas empresas se oferecerão para minerar quantidades exorbitantes de bitcoin para você. Você terá que pagá-los. Isso é o último que você verá do seu dinheiro (sem bitcoins para mostrar isso também).
  • Scams do Bitcoin Exchange : Scams do Bitcoin Exchange oferecem recursos que as típicas carteiras de bitcoin não oferecem, como o processamento do PayPal / Cartão de Crédito, ou melhores taxas de câmbio. Escusado será dizer que esses golpes deixam você no jeito enquanto eles sugam seus dólares.
  • Scams Bitcoin Wallet : As carteiras scam Bitcoin são semelhantes às carteiras online – com uma diferença. Eles te pedirão seu dinheiro. Se ladrões gostam da quantia, isso é o último que você verá do seu depósito. O endereço, em outras palavras, leva a eles, e não a você.

De todos esses, os golpes de carteira são os mais populares, com golpistas conseguindo beliscar milhões.

Quais são as vantagens do Bitcoin?

A melhor coisa sobre o Bitcoin é que ele é descentralizado, o que significa que você pode fechar acordos internacionais sem mexer nas taxas de câmbio e taxas extras. O Bitcoin é livre de interferência e manipulação do governo, portanto não há um Sistema de Reserva Federal para aumentar as taxas de juros. Também é transparente, então você sabe o que está acontecendo com seu dinheiro. Você pode começar a aceitar bitcoins instantaneamente, sem investir dinheiro e energia em detalhes, como configurar uma conta de comerciante ou comprar hardware de processamento de cartão de crédito. Bitcoins não podem ser falsificados, nem o seu cliente pode exigir um reembolso.

Não é de admirar que os usuários chamem o Bitcoin de “Money 2.0” ou que Bill Gates o chamou de “techno tour de force”.

O canal Ideias Radicais também adere ao novo sistema:

Tyler Winklevoss, co-criador do Facebook, resumiu quando disse:

tyler-winklevoss: O que é o Bitcoin?  Um guia passo-a-passo para iniciantes

 

“Nós escolhemos colocar nosso dinheiro e fé em uma estrutura matemática que é livre de política e erro humano.”

 

 

Etiquetado , , , ,

Já ouviu falar em economia nos relacionamentos?

Na economia e nos relacionamentos, tenha cuidado com mensagens muito positivas
Pense no seu comportamento quando vai a um encontro romântico com alguém pela primeira vez. Você é capaz de estimar o quão próxima da realidade é a impressão de si mesmo que você passa nesse encontro? Por mais que neste momento você esteja se convencendo de que é 100% honesto em seu primeiro encontro, o mais provável é que você esteja mentindo. Afinal, ninguém quer abrir o jogo logo de cara e confessar que ronca quando dorme, tem chulé ou opiniões controversas sobre um assunto delicado – seria uma forma de acelerar a quebra do encanto inicial.

KM7O6

Essa mesma dinâmica das aparências em encontros amorosos também vale para outras questões, principalmente no âmbito político e econômico. O grande ponto é que, no fundo, sabemos que estamos sendo enganados, só que preferimos fazer vista grossa para isso.

No livro Freakonomics, os autores Stephen Dubner e Steven Levitt mencionam uma pesquisa feita pelo psicólogo econômico Dan Ariely, a qual analisou o comportamento de pessoas que se inscrevem em sites de relacionamento. Além de exagerarem informações a respeito da aparência física e salário, a maioria dos inscritos quis passar uma impressão de ter a mente aberta para pessoas de diferentes padrões estéticos.

No entanto, ao passo que publicamente alegavam essa abertura, os dados confidenciais analisados demonstraram que a maior parte dessas pessoas buscou por um padrão estético específico. Ou seja, na prática, imperou a velha máxima do “faça o que eu digo, mas não faça o que eu faço”.

giphy-11

As pessoas declaram o que é socialmente bem visto, mas escondem suas reais preferências e interesses. Pense em como isso também acontece no contexto econômico: grandes empresas defendem bandeiras de sustentabilidade, ao passo que, na prática, continuam a adotar práticas nocivas ao meio ambiente.

Os bancos investem rios de dinheiro em publicidade para convencer seus clientes de que estão genuinamente interessados em seu bem-estar e interesses, ao passo que continuam estabelecendo metas exorbitantes para a venda de produtos financeiros que são péssimos para o consumidor – como os títulos de capitalização.
A política, por sua vez, é completamente estruturada em cima dessa premissa. Publicamente, são debatidos em campanha os temas de interesse popular, passado o período eleitoral, a realidade é outra.

obamaclap-clap

O ponto é que as pequenas mentiras podem até te ajudar a levar adiante um encontro romântico, mas manter a vista grossa para essas questões no contexto econômico pode te levar a perder dinheiro ou investir mal. Fique mais atento ao quanto você confia nas mensagens bem-intencionadas que lhe são passadas.Se interessou pelo assunto? leia o livro

Veja o pod cast e um post que falamos a mesmíssima coisa aqui

Etiquetado , ,

O mito da gasolina do Brasil

Eu não estou contra a greve dos caminhoneiros. As reivindicações deles são justas. Estou contra esta catarse que se formou no Brasil. A crise generalizada já acontece faz tempo

economia-de-buteco

Não povo!. Os caminhoneiros não são heróis do povo Brasileiro. Eles estão parados, justificavelmente, defendendo o deles. E está certo. Mas o preço da gasolina não irá cair. Ao contrário: com a desoneração dos impostos no diesel, possivelmente ela aumente. E não vai ser só isto não. Alguém terá que pagar a conta. Se você acha que vai tirar uma lasquinha na greve dos caminhoneiros, apoiando confortavelmente atrás do seu computador, lamento informar que vai doer no seu bolso também .

Aliás, esta desoneração dos impostos e subsídios no combustível foi exatamente o que o governo do PT fez por anos e foi duramente criticado. Esta atitude, junto com os desvios de dinheiro e as administrações absurdamente incompetentes da Presidente foi o que quebrou a Petrobras. E agora querem novamente uma intervenção estatal nos preços?

Mas independente disto, eles estão corretos, muita embora seja visível a interferência dos grandes setores do transporte nesta orquestra. Em uma comparação bem simples, seria o mesmo que uma greve de professores da rede privada apoiada pelos próprios patrões, onde os professores pedem um aumento nas mensalidades para aumentar seu salário. E se tem patrões apoiando, pode apostar que o custo deste apoio será cobrado da população.

Mas parem, apenas parem, de achar que vai resolver em algo a vida da população, que tanto aplaude, pela “coragem”. Não é coragem não queridos: é poder de fogo. Somente a classe dos transportes tem poder de parar um país. No Chile ficaram parados 28 dias e derrubaram um governo. Ah sim, no Chile foram apoiados pelos EUA (na surdina), mas é óbvio que aqui isto não existe (será?) e eles estão movidos pelo mais profundo interesse de ajudar o país.

Não duvido que os milhões de caminhoneiros autônomos estão na greve pelas dificuldades de trabalho e pelos riscos que enfrentam no dia a dia. A insegurança nas estradas, a falta de conservação, as poucas horas de descanso, etc. mas não vi nada disto na pauta de reivindicação

Aliás, não vi na pauta um pedido para aumento da remuneração por hora trabalhada. E sabem porque não pedem isto? Porque existe um excedente de caminhões no Brasil, causado pela desoneração de impostos e pelas facilidades de compra de caminhões (com incentivo fiscal para as montadoras e financiamento a juros baixos para as transportadoras e autônomos), implantado no Governo Dilma. Sabem o que isto causou? Uma frota renovada e grande, o que levou a uma redução no preço do frete. Com o combustível subsidiado, não tinha muito problema. Livre mercado: mais oferta, preços caem e o governo assumia uma parte da conta, não por responsabilidade, mas por populismo. Mas com a mudança da política de preços dos combustíveis (que aliás, foi pedido indiretamente por milhões de Brasileiros – “salvem a Petrobras”), o aumento do diesel e a redução do preço do frete fez a água chegar no pescoço das grandes empresas. E aumentar o frete não tinha como, devido à grande oferta de caminhões. Concorrência né, queridos. A única solução seria a redução do preço do diesel.

Mas nesta redução do preço, a conta terá que fechar. E já está fechando. O valor de impostos que não serão recolhidos com o diesel terá que vir de outro lugar. (Lei de responsabilidade fiscal, viu) Onera-se outros setores da economia (incluindo a gasolina, tá). Retira-se um tiquinho ali e outro acolá ( saúde e educação estão com dinheiro sobrando mesmo).

E ainda tem mais. Os pedágios, que são controlados por empresas privadas, vão repassar para quem o valor que NÃO será arrecadado com os caminhões? Adivinhem…

Mas independente de tudo isto, os caminhoneiros estão corretos. Estão defendendo o deles ( independente de serem autônomos ou empresas). Mas não, eles não são caminhoneiros guerreiros do povo Brasileiro.

Dd94nAOV4AAwwfX

A única coisa incorreta nesta história toda; greve tem que causar prejuízos? Tem. Tem que incomodar? Tem. Tem que mostrar que manda quem pode e obedece quem tem juízo? Tem. Mas tem que ter limite ético? Tem também.

O leite derramado não me importa, as hortaliças estragadas não me importam ( mas tenho em mente que os preços subirão por vários meses devido à pouca oferta), os pequenos produtores que ficaram descapitalizados também não importa (né?) o agronegócio que será impactado negativamente não me importa (sem cumprimento de prazos e sem produto para exportação e abastecimento local eles irão perder contratos), mas uma coisa me importa: os milhões de animais que já estão e irão morrer de fome em horas ou poucos dias, porque a comida, o milho, a soja, etc, não chega nas milhares de pequenas células granjeiras espalhadas por todo o Brasil.

Há quem justifique que não tem problema isto, pois o destino deles seria a morte de qualquer modo. Para os que acham isto, recomendo que se informem qual é o processo metabólico da morte por caquexia. Sim, a morte para estes animais é inevitável, mas o sofrimento de uma morte lenta e agonizante pode ser evitado sim. Basta que a comida chegue até eles.

Sei que a minha preocupação com a fome destes animais é simplista, afinal, animais e pessoas morrem de fome todos os dias. Mas não é por isto que se justifica a morte pontual e deliberada destes animais agora. Não é porque morrem pessoas todos os dias por falta de remédios que se justifica não chegar oxigênio nos hospitais. Porque se for assim, onde fins justificam os meios, seja lá como for, não existe nenhum sentido em nenhuma luta, por mais justa que seja.

Caminhoneiros, go (mas levem o oxigênio aos hospitais e a comida dos animais as granjas) No mais, podem ficar parados quanto quiserem e inclusive derrubar o governo. O que é uma eleiçãozinha indireta a esta altura do campeonato, não é mesmo? Mais informações AQUI

 

Crítica maravilhosa feita pela Flávia Saad 

Etiquetado , , , ,

Precisamos falar sobre economia do crime

economia-e-crime

Em face da recorrente necessidade de refletir sobre o fenômeno criminológico, a análise de modelos propostos para descrever o crime mostra-se imprescindível. Nos limites deste espaço de debate acerca das Ciências Criminais, farei referência, de forma sintética, à Teoria Econômica do Crime proposta por Gary S. Becker, professor da Universidade de Chicago e agraciado com Prêmio Nobel de Economia em 1992, que consistiu na aplicação de certos modelos econômicos para a explicação da criminalidade. Tal modelo, inclusive, justificou a adoção de determinadas políticas públicas de segurança, bem como de ações preventivas, assim como o feminicídio

Em 1968, Becker publicou o artigo intitulado “Crime and Punishment: An Economic approach” (Crime e Punição: uma abordagem econômica, em tradução livre), publicado no Journal of Political Economy, por meio do qual fez uso do raciocínio econômico para explicar as variáveis consideradas previamente à decisão de praticar condutas penalmente ilícitas, decisão essa tomada por indivíduos racionais. A ideia central do modelo reside na ponderação realizada por esses mesmos indivíduos entre custos da prática delituosa e os benefícios esperados (expectativas de lucro). Para Cerqueira e Lobão, o entendimento de Becker pode ser sintetizado da seguinte forma:

“a decisão de cometer ou não o crime resultaria de um processo de maximização da utilidade esperada, em que o indivíduo confrontaria, de um lado, os potenciais ganhos resultantes da ação criminosa, o valor da punição e as probabilidades de detenção e aprisionamento associadas e, de outro, o custo de oportunidade de cometer crimes, traduzido pelo salário alternativo no mercado de trabalho”[1].

Assim, a partir das noções de prazer e sofrimento já encontradas em Beccaria (1738-1795), quando menciona a necessidade de “motivos suficientes para dissuadir o despótico espírito de cada homem de submergir às leis”[2] e em Bentham (1748-1832), ao defender a “maximização da utilidade”, Becker aponta que a decisão do indivíduo em relação ao crime envolve benefícios e custos. Essa concepção pressupõe um indivíduo racional, que dá prioridade ao seu interesse individual a partir do cálculo dos custos (v. G. Chance de ser flagrado, condenado e de efetivamente ter que cumprir a pena), variáveis que, verificadas em conjunto com outros elementos, tais como, grandeza do aparato policial, nível de eficiência da justiça criminal, severidade das punições, possibilidade, de livramento condicional, podem desestimulá-lo à prática criminosa. Existem variáveis positivas, as quais estimulam om indivíduo a buscar uma colocação no mercado de trabalho (renda, salário, educação) e variáveis negativas (eficiência do aparato de justiça, por exemplo) que buscam dissuadi-lo da ideia de cometer crimes. O crime é, portanto, tido como uma atividade econômica como outra qualquer.

Gary define seu método a partir de uma fórmula para calcular o prejuízo social decorrente da ação criminosa, ao mesmo tempo em que dimensiona os gastos a serem realizados, tanto na seara pública como privada, direcionados à redução ou minimização dessas perdas. Se, por exemplo, o salário decorrente da manutenção de uma relação de emprego for inferior aos benefícios eventualmente auferidos com o delito, o agente optará pelo cometimento do crime, pois vale a pena arriscar-se. A opção pelo risco compensará o agente. Busca-se, inclusive, a otimização da alocação dos recursos públicos direcionados à implantação de políticas de segurança pública e de prevenção. A metodologia tem o escopo de atingir a melhor e mais apropriada alocação desses recursos e promover o sancionamento direcionado à redução da perda (dano) provocada pela prática criminosa[3].

A aplicação da norma (enforcement) depende, entre outras coisas, do custo da captura e do aprisionamento dos criminosos, da natureza das punições, sejam pecuniárias ou não, e das reações que as mesmas podem provocar nos ofensores.

Becker sustenta a otimização das punições através da penas de multa como forma eficiente de sanção e de alocação ótima de recursos para a sociedade – o valor marginal das penas tem de se igualar ao ganho privado marginal da atividade ilegal. O montante da pena de multa pode ser igual ao prejuízo marginal causado pela ofensa dentro da lógica que o autor denomina de minimização das perdas sociais e que compense as vítimas. O objetivo das penas é minimizar a perda social (dano). Segundo Marcelo da Silveira Campos, “a pena pode ser considerada o preço de uma ofensa; multas são preços em unidades monetárias e a prisão são preços em unidades de tempo”[4].

A quantificação das penas varia de acordo com o dano total causado pela ofensa e, em razão disso, os criminosos devem compensar os custos que seus comportamentos causaram à sociedade de acordo com uma análise externa.

A partir disso, extrai-se que: (a) se a ofensa causar mais prejuízos externos do que ganhos ao criminoso, o dano social da ofensa pode ser reduzido por minimizado por punições altas; (b) a prisão não deve ser abolida, mas deve ser feito um bom uso dela, conhecendo-se a elasticidade da resposta dos crimes mediante as mudanças nas punições; (c) a multa seria preferível como forma de punição, pois ela pode recompensar as vítimas, maximizando a utilidade dos recursos públicos e restabelecendo as perdas econômicas da sociedade; (d) as punições afetam não apenas os criminosos, mas também outros membros da sociedade como, por exemplo, o aprisionamento requer gastos com guardas, supervisores, pessoal, prédios, comida, etc[5].

A teoria econômica do crime apresenta inúmeras limitações, dentre as quais se destacam a inegável diferença entre a percepção de cada indivíduo em relação à prática do crime, a “possibilidade de escolhe” entre cometer ou não um delito, as diversas realidades pessoais, sociais e econômicas dos sujeitos. Contudo não se pode ignorar alguma possível influência desse modelo na legislação brasileira, por exemplo, ao se examinar a possibilidade de aplicação de multas altas, triplicadas no caso de o magistrado verificar que a aplicação da pena ao máximo seria ineficaz (artigo 60, § 1º, do Código Penal), além da possibilidade de se extinguir a punibilidade, nos crimes tributários, mediante o pagamento do tributo devido. São questões que fundamentam a necessidade de se conhecer o pensamento de Gary Becker. O pioneirismo de Becker na elaboração do modelo ora examinado incentivou uma maior aproximação entre Economia, Sociologia e Direito. O estudo realizado sob uma perspectiva microeconômica apresenta, como já dito, limitações próprias das ciências econômicas, cujo estudo deve ser complementado por outras áreas do saber direcionadas ao comportamento direcionado para o crime. Atualmente existem estudos que abordam como a economia lucra com o racismo, outro crime inafiançável e imprescritível

Abaixo um programa de radio da UFOP também aborda esta questão:

Etiquetado , ,

TERCEIRA GUERRA MUNDIAL

Há dois crimes contra a humanidade em curso:

1) os governantes do Ocidente (capitaneados pelos Estados Unidos, óbvio) decidiram “enquadrar” a Rússia e a China, porque não admitem a existência de projetos nacionais soberanos e autônomos, e também porque não admitem que tais projetos possam ameaçar a hegemonia do capitalismo financeiro baseado no dólar; e 2) toda a imprensa do Ocidente silencia quanto a isso, retendo as populações ignorantes quanto ao crescente risco de guerra (que possivelmente será nuclear).

Fato é que Rússia e China não somente resolveram “pagar para ver” como aliaram-se. Os americanos reagem a isso do único jeito que sabem: falando cada vez mais grosso. Se não houver um basta a esse processo de escalada, a guerra é tão somente questão de tempo.

A Rússia insiste que suas relações com a OTAN não vão melhorar a menos que a aliança militar ocidental adote uma nova política em relação à Rússia.

A aliança militar ocidental deixou claro que qualquer reunião com a Rússia terá que abordar o conflito entre as forças governamentais ucranianas e os combatentes pró-russos no leste daquele país.

Etiquetado ,

Passividade faz cientistas investigarem se há Rivotril na água dos brasileiros

Captura-de-Tela-2015-10-28-às-09.58.35.png

Corrupção de milhões, acordos , limitação da ideia de família, retirada de direitos da mulher, porte de armas para deputados, projeto que anistia o dinheiro legal no exterior, impostos altos sem contrapartida social, semana de terça a quinta no Congresso…

Diante de tanto escândalos e decisões que prejudicam a vida do brasileiro, cientistas de um pool de universidades nacionais e estrangeiras estão apurando uma desconfiança antiga: a existência de calmantes na água que o brasileiro toma. “Claro que a falta de conhecimento da atualidade que existe a partir da educação de qualidade do brasileiro é um fator que merece ser levado em conta”, diz Eduardo Santanna, da Universidade do Sudeste. “Mas este nível de passividade diante de tudo merece ser investigado a fundo”, garante.

Os cientistas vão apurar também por que mesmo as pessoas esclarecidas têm energia para discutir e clamar por justiça apenas nas redes sociais. “O ativista de Facebook é um personagem contemporâneo nefasto”, opina Santana. “Porque dá a sensação de que a pessoa está fazendo algo, quando de verdade não está, e gasta sua energia em algo inócuo”.

 

Etiquetado , , , ,

A economia Dilma X Temer

dilmaetemer

Sem ambição eleitoral, presidente diz que seu objetivo é colocar Brasil no caminho certo. Qual caminho será esse ainda não sabemos… provavelmente e o caminho do seu castelo na pensilvânia…

Etiquetado , , ,

Itamar Franco na Berlinda!

O então Presidente do Brasil Itamar Franco flagrado ao lado de uma modelo sem calcinha em pleno Sambódromo, no carnaval de 1994. O Serviço de Inteligência brasileiro cogitou seu impeachment após o episódio.

Lilian Ramos alegou que tinha acabado de desfilar e que, antes de ir para o camarote, só tinha dado tempo de tirar a fantasia e vestir uma camiseta. Aproveitando a fama súbita, a modelo se mudou para a Itália, onde gravou um CD de dance music.

O episódio repercutiu largamente na mídia, atingindo a credibilidade do chefe do Executivo em vários setores da sociedade, sendo capa de diversas revistas.
375094_497167580355817_2066272456_n

Etiquetado

FHC defende cigarros aromatizados


O Ministério da Saúde lançou uma nova campanha para combater o fumo

JAMAICA – Envolto em densa névoa, Fernando Henrique Cardoso criticou a proibição do uso de aditivos aromatizados em cigarros. “A Noruega e a Suíça legalizaram a mistura de orégano, hortelã, páprica e cominho ao fumo. Nossa legislação está muito atrasada”, disse o ex-presidente, enquanto mordia uma respeitável fatia de bolo de chocolate com requeijão e doce de leite. A declaração foi prontamente apoiada por Marcelo D2, Fernando Gabeira e pelas ONG Hortaliças Radicais e Aromas do Novo Milênio. Soninha prometeu circular nua de bicicleta polvilhando a cidade com sementes de girassol.

Na contramão de FHC, o Ministério da Saúde anunciou um plano de erradicação do fumo, de Michel Teló e do PMDB até a Copa do Mundo. “O segredo é cortar o mal pela raiz. Depois que o vício se desenvolve, fica muito mais difícil. Vejam só o topete do Roberto Justus e o figurino do Faustão”, exemplificou.

Etiquetado , ,
Anúncios